Tesouro Direto - Ausente de riscos? Descubra agora!

3 de maio de 2023

Invista em algo diferente

Vem pra Fido »

Precisando de empréstimo?

Vem pra Fido »

Quem deseja investir no mercado financeiro, precisa conhecer a fundo os possíveis riscos do Tesouro Direto a fim de saber gerenciá-los futuramente.

Negligenciar esse assunto pode comprometer os resultados que você tanto espera!

Muito presente no mundo das finanças, a possibilidade de risco existe em diversas modalidades, inclusive nas consideradas mais seguras, como o Tesouro Direto. Você tem dúvidas sobre os riscos que envolvem esse investimento?

Então leia o conteúdo a seguir!

    Primeiramente, o que é o Tesouro Direto?

    Basicamente, o Tesouro Direto é uma tipo de investimento de renda fixa, desenvolvido pelo Tesouro Nacional em parceria com a BM&F Bovespa.

    Funciona da seguinte forma: o governo emite títulos de dívidas e o investidor paga por esses títulos emprestando o seu dinheiro ao governo, que devolve o valor com rendimentos de juros.

    Atualmente existem 3 categorias de rentabilidade, que variam de acordo com a necessidade do investidor: Tesouro Indexado à inflação (IPCA+), Tesouro Pré- Fixado, Tesouro Pós-Fixado (Selic).

    Vamos entender cada uma delas...

    O Tesouro Selic é um título pós-fixado, ou seja, seu rendimento é atrelado à taxa Selic, que é a taxa básica de juros da economia. Ele é muito indicado para montar reserva de emergência, pois apresenta segurança e liquidez diária, ou seja, pode ser resgatado a qualquer momento.

    Já o Tesouro IPCA é um título público do governo federal, pré-fixado com correção monetária pelo IPCA, índice de inflação oficial do país. Seu objetivo é captar dinheiro de investidores para o Governo investir em áreas como infraestrutura, saúde e segurança.

    Por fim, o Tesouro Prefixado é o único título do Tesouro Direto que ao contratar o investimento você já sabe exatamente o quanto irá receber no final do período, ou seja, seu rendimento é definido no momento da compra.

    Agora, em relação aos riscos…

    Embora mínimos, eles existem e se classificam de três maneiras diferentes: Risco de Crédito, Risco de Liquidez e Risco de Mercado.

    O Risco de Crédito é a possibilidade do governo não conseguir realizar seu pagamento, devido às incertezas econômicas.
    Como o próprio governo é responsável pela emissão de dinheiro, esse risco tem chances reduzidas de acontecer, porém na sua existência, provoca vários problemas na economia, dentre eles está o impacto no poder de compra dos investidores.

    O segundo citado acima, denominado "Risco de Liquidez", acontece quando você se depara com o impasse de transformar seus ativos financeiros em dinheiro.

    Para evitar esse cenário, é permitido o resgate antecipado desses títulos, mas não é tão fácil como muitos acreditam, pois está associado a vários fatores e um dos prejuízos é que o valor de venda pode distinguir do valor de compra.

    Por último, o Risco de Mercado são oscilações dos preços de títulos.

    Esse risco se refere às vendas antecipadas de títulos e para o investidor é um grande prejuízo, pois o mesmo pode se deparar com uma grande desvalorização.

    Portanto, os três tipos de títulos do Tesouro Direto oferecem vantagens e desvantagens.

    Dito isso, é de suma importância avaliar os seus objetivos e as suas necessidades financeiras.

    Nessas horas, pode ter certeza, contar com uma ajuda profissional vai te ajudar a tomar as melhores decisões..

    Quer entender mais do assunto?
    Conte com a nossa consultoria personalizada!

     

    A Tokenização da Economia: Transformando Ativos em Tokens Digitais

    Na era digital, a tokenização emergiu como uma poderosa força transformadora, redefinindo a maneira como vemos e interagimos com ativos financeiros e tangíveis. A tokenização, em essência, refere-se à conversão de direitos ou ativos em tokens digitais que são registrados e transacionados em uma blockchain. Esse processo tem impactos profundos em vários setores da economia, […]

    Open Investment: A nova fase do Open Finance voltada para os investidores

    Aos poucos, o Open Finance vem trazendo uma série de melhorias aos brasileiros. Numa das mais recentes novidades, o Open Investment, os clientes poderão compartilhar, se quiserem, suas informações de investimentos em fundos, renda fixa e renda variável. Entre os benefícios estão melhor gestão da carteira e ofertas mais adequadas e vantajosas. Continue lendo para […]

    Assine nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail

    Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de nossa Política de Privacidade e autoriza a Fido a utilizar suas informações de contato para envio de conteúdos.
    A Fido existe pra você!
    Geralmente, um banco só oferece um bom empréstimo para quem já tem dinheiro, não é mesmo? E quem precisa de uma ajuda nessas horas, encontra dificuldade, taxas escondidas e juros insustentáveis.
    Já quem quer investir suas economias, escolhe entre aplicar em renda fixa, com rendimentos baixos, ou enfrenta a alta volatilidade da bolsa.
    A Fido nasceu com o propósito de fazer o dinheiro fluir entre as pessoas. Acreditamos que a relação com o dinheiro deve ser equilibrada, com juros justos para quem precisa e rentável para quem investe.
    Seja a transformação! Faça parte da comunidade Fido!
    Conecte-se com a gente
    contato@fido.com.vc
    Entre em contato pelo site
    Mantenha-se informado
    Cadastre-se para receber nossos conteúdos e atualizações por e-mail

    linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram